SELO SUSAF-PR PERMITE QUE AGROINDÚSTRIAS DE CASCAVEL COMERCIALIZEM EM TODO O ESTADO

Secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, esteve na manhã desta quarta-feira em Cascavel para oficializar a adesão ao Susaf-PR

Pequenas agroindústrias de Cascavel estão autorizadas a comercializarem seus produtos, de origem animal, para qualquer um dos 399 municípios do Paraná e, consequentemente, aumentar a produção com a geração de mais empregos.
Na manhã desta quarta-feira (10), o secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, esteve em Cascavel para oficializar a adesão de Cascavel ao Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agroindustrial Familiar e de Pequeno Porte no Estado do Paraná (Susaf-PR). Com isso, o Serviço de Inspeção Municipal de Produtos de Origem Animal (SIM/POA) está habilitado a certificar médios produtores de Cascavel para comercializar sua produção em todo o Estado. Cascavel é a segunda cidade do Paraná autorizada a inspecionar e certificar os produtores com o selo Susaf-PR.
Ortigara destacou que Cascavel passou a certificar os produtores por possuir um serviço de inspeção municipal de qualidade técnica e que isso irá beneficiar a pequena agroindústria, que poderá ter ousadia de expandir seus negócios. “Isso é horizonte comercial, quem vendia só para Cascavel pode vender para o Paraná inteiro”, salienta. “O que o Estado fez foi destravar os negócios dessas pequenas unidades”, completa.
Renato Segalla, secretário municipal de Agricultura, lembra que agroindústria familiar fatura, em Cascavel, mais de R$ 100 milhões anuais e a partir de agora terá uma projeção ainda maior. O setor possui mais de 630 produtos licenciados e gera mais de 400 empregos em 90 empresas de produtores cadastrados. “Esse selo vai contribuir muito para o desenvolvimento de Cascavel”, diz.

Expansão
Darci Vezaro recebeu, simbolicamente, das mãos de Ortigara o selo Susaf-PR. Ele diz que com essa nova inspeção irá possibilitar o crescimento da empresa, que estava no limite e não poderia ampliar a produção. “Hoje essa inspeção vai possibilitar o nosso crescimento para atender outras regiões, outros mercados, implantar novos produtos, contratação de novos empregos. Isso faz com que a empresa cresça, tenha um melhor faturamento e melhore a vida para todos nós”, declara. Vezaro afirma que que o selo veio em uma boa hora já que, por conta da pandemia, houve uma redução significativa das vendas.
Andrey Mikael Pasa diz que atualmente sua agroindústria emprega 15 funcionários e, com o novo selo, já está planejando novas contratações para a expansão dos negócios. “Agrega muito a questão de funcionários. É possível agregar novas contratações”, afirmou.

ASSESSORIA