Três a cada 10 crianças de 5 a 9 anos estão acima do peso no Brasil

Época de férias escolares é sempre a mesma coisa: meninada em casa querendo gastar energia e pais aflitos pensando em como organizar a agenda de atividades dos pequenos. E muitas delas envolvem comida: é a pipoca do cinema, o hambúrguer com os amigos, o sorvete no fim da tarde, a balinha de sobremesa.

O que pode ser um momento de diversão, no final das contas pode significar a consolidação de hábitos não tão saudáveis que acabam ficando para o ano inteiro.

Dados do Ministério da Saúde mostram que três em cada dez crianças de 5 a 9 anos estão acima do peso no Brasil. E já que estamos falando de férias, por que não aproveitar para estimular a garotada a praticar atividades ao ar livre, longe das telas dos celulares, e das guloseimas.

A nutricionista materno infantil Saridiele Oliveira alerta que a mistura do sedentarismo com alimentação inadequada é a origem da obesidade infantil.

O Ministério da Saúde tem uma campanha para combater a obesidade infantil. Ela foca em três recomendações básicas: diminuir o tempo de exposição às telas, celulares, computadores ou TVs; aumentar as atividades ao ar livre; e estimular alimentos saudáveis. A coordenadora-geral de alimentação e nutrição do ministério, Gisele Bortolini, recomenda evitar, ao máximo, as comidas processadas.

A especialista considera ainda que as férias devem ser uma oportunidade para tirar as crianças da tela e estimular brincadeiras ao ar livre.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha que crianças menores de 1 ano façam até 30 minutos de atividades físicas diárias, como engatinhar e movimentar os braços. Já os pequenos de 1 a 4 anos devem fazer até 3 horas de atividades por dia. E os maiores de 4 anos devem fazer, pelo menos, segundo a OMS, 60 minutos por dia de atividade física de intensidade moderada.

Fonte: Rádio Agência Nacional